Photobucket

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

São Paulo evitará produção de 11 milhões de toneladas de CO2 até 2012

(Reprodução)









Dia Mundial do Habitat

Fonte: Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil | UNIC Rio


O feito vai ser possível por conta de projetos de Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), nos aterros Bandeirantes e São João, em São Paulo, que vão evitar a produção de 11 milhões de toneladas de CO2-eq até 2012.

A informação é do Relatório Global sobre Assentamentos Humanos 2011: Cidades e Mudanças Climáticas, que será apresentado hoje, dia 3 de outubro, em Aguascalientes (México). O lançamento ocorre dentro das celebrações globais do Dia Mundial do Habitat, que se celebra na primeira segunda-feira de outubro, desde 1985.

Outras informações da região da América Latina e o Caribe e do mundo podem ser encontradas no Relatório, que também apresenta as consequências do aumento do nível do mar, a produção elevada de CO2 mundial (70%) das cidades, o aquecimento global e o que isso significa para os centros urbanos; entre outros assuntos.

“As vidas e o sustento de centenas de milhões de residentes urbanos serão afetados pela adaptação, ou não, à mudança climática na próxima década. As mudanças climáticas ainda não estão na lista de prioridades de planejamento urbano em muitos dos países em desenvolvimento”, disse o Diretor Executivo do ONU-HABITAT, Joan Clos.

É necessário a cooperação entre representantes da sociedade civil organizada, governos locais, nacionais, cooperação internacional e atores preocupados com este assunto. Esta pode se dar de diversas maneiras e o diálogo é uma das formas mais eficazes.

Na América Latina, várias medidas estão sendo implementadas para melhorar a qualidade ambiental nas cidades. Em Bogotá, o TransMilenio já é um sistema de transporte público consolidado e tem se aplicado em outras cidades, como Lima e Cidade do México. Além disto, existe uma restrição ao uso de carros aos domingos na capital da Colômbia, enquanto a criação do Mercado de Carbono no Rio de Janeiro já tem repercussões no âmbito nacional e internacional.

Leia mais em: ONU-HABITAT

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários aqui postados, são de responsabilidade dos seus autores.