Photobucket

sexta-feira, 25 de março de 2011

Caraguatatuba quer mudar Plano Diretor para crescer

(Reprodução)

















Projeto em discussão com a sociedade amplia número de andares dos edifícios na Cidade

Fonte: Bruno Guedes/Jornal A Tribuna/Comunicacao.caragua

Os edifícios ainda não dominam a paisagem urbana na orla de Caraguatatuba, mas a Prefeitura iniciou uma série de audiências públicas para discutir a elevação dos pavimentos.


EXPANSÃO


A área de planície a ser verticalizada com prédios de até 25 pavimentos, chamada de Zona de Expansão Urbana, e antes ocupada por chácaras e fazendas, fica na costa sul do Município e tem 70 milhões de metros quadrados.

“O adensamento será planejado, em uma região em que há espaço para a construção de vias, instalação de infraestrutura adequada”, explica o secretário- adjunto de Meio Ambiente de Caraguatatuba, Paulo André Cunha Ribeiro.

“Nossa intenção é atender à demanda do desenvolvimento que Caraguá vive hoje e induzir o crescimento onde ainda há espaço, para tirar a pressão imobiliária da área urbanizada. Será uma nova Cidade”.


ORLA


Na área de orla, a Prefeitura propõe maior restrição em alguns pontos. As regras atuais, estabelecidas por uma lei de zoneamento de 1992, permitem a construção de prédios em toda Caraguá de até 13 andares para estabelecimentos ligados ao turismo, como hotéis ou colônias de férias, e de nove pavimentos para residências.

A proposta do Município é criar um escalonamento em que a faixa da orla, que compreende as quatro quadras mais próximas à praia, terão gabarito menor. “Em pontos mais críticos, serão permitidos até seis pavimentos. É o caso da (praia de) Martin de Sá, onde os prédios construídos já criam um sombreamento na areia”.

Em outros trechos, optou se por manter os nove pavimentos e, em um ponto da região central, em que os prédios são mais afastados da faixa de areia, haverá ampliação para 12 andares. Já nas faixas interiores do território, o gabarito chega a até 18 andares, o que permitirá edificações maiores em regiões hoje pouco adensadas.

Os recuos laterais também vão aumentar para possibilitar maior espaço entre as edificações. Atualmente são de dois a cinco metros, e passarão a 6,5 metros.

A taxa de ocupação do terreno, que define o percentual do lote a ser edificado, também deve permitir maior ventilação. Hoje varia entre 40% e 60% e, na proposta, é de 30% para a região da orla.

“Somos contra o adensamento proposto. A Prefeitura está projetando uma Cidade para 1,7 milhão de habitantes”

Alexandre D Giamo, do Instituto dos Arquitetos do Brasil

Bertioga

Os edifícios ainda não dominam a paisagem urbana na orla de Caraguatatuba, mas a Prefeitura iniciou uma série de audiências públicas para discutir a elevação dos pavimentos

EM PORCENTAGEM

O Plano Diretor de Bertioga permitirá a verticalização da orla da praia. Você é a favor da construção de prédios altos nessa região?


SIM 20
NÃO 80


A Prefeitura de Bertioga também iniciou a discussão com a sociedade para mudanças em seu Plano Diretor, a fim de permitir a construção de edifícios maiores, sobretudo na orla da praia. O futuro Plano Diretor também trata do tamanho dos terrenos para a construção de conjuntos
habitacionais populares na Cidade. Durante um dia A Tribuna fez uma enquete (www.atribuna.com.br) para saber o que os internautas pensam do assunto e foram registrados 164 votos (veja resultado acima).


Visite: Portal de Caraguatatuba

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários aqui postados, são de responsabilidade dos seus autores.