Photobucket

sexta-feira, 18 de março de 2011

Acre e Rio Branco aderem à Hora do Planeta

(Reprodução)













3.733 cidades, em 130 países, já confirmaram participação. Em 2011, movimento incentiva compromisso duradouro das cidades com o meio ambiente

Fonte: Comunicação WWF-Brasil

26 de março de 2011, de 20h30 às 21h30 (hora local), apague as luzes para ver um mundo melhor

Pelo terceiro ano consecutivo, o Estado do Acre e a capital, Rio Branco, participam do movimento Hora do Planeta, demonstrando a preocupação com as questões ambientais e o engajamento para a promoção da conservação da natureza e pelo desenvolvimento sustentável.

O Acre desenvolve projetos de valorização da floresta e criou um marco legal para incentivo ao pagamento por serviços ambientais, com remuneração adequada para proprietários, populações tradicionais e projetos que contribuam para conservar as florestas. Estado e prefeitura de Rio Branco também criaram procedimentos para garantir o consumo de madeira de origem legal, eliminando do consumo público o produto de fontes desconhecidas, ilegais e predatórias.

"Estado e prefeitura de Rio Branco tem um histórico de compromisso com a causa ambiental. A participação na Hora do Planeta, pelo terceiro ano consecutivo, também é uma demonstração desse engajamento e um exemplo para outras cidades e governos", afirmou Denise Hamú, secretária-geral do WWF-Brasil.

O prefeito de Rio Branco, Raimundo Angelim, destacou que o Acre está integrado ao processo de construção de um "círculo virtuoso da sustentabilidade", com medidas que contribuirão para melhorar a qualidade de vida das próximas gerações. "A adesão de Rio Branco ao movimento Hora do Planeta é exemplo de compromisso com o desenvolvimento sustentável", disse.

Localizado no Vale do Acre, na região Norte do Brasil, Rio Branco é o mais populoso município do estado, com 335.796 habitantes, segundo o censo 2010. A capital do Acre foi, ainda, um dos primeiros povoados a surgir às margens do rio Acre. Na Hora do Planeta 2011, serão desligadas as luzes da Prefeitura do Centro e do Horto Florestal, onde funciona a sede da Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

No Brasil, 26 cidades, incluindo seis capitais, já formalizaram a adesão à Hora do Planeta 2011. A maior parte delas também participa pela terceira vez. Outras 14 prefeituras encontram-se já na fase final de entrega do termo, que traz a indicação de quais monumentos serão apagados.

As outras cinco capitais que aderiram são Aracaju (SE), Goiânia (GO), Natal (RN), Rio de Janeiro (RJ) e Vitória (ES). As 20 cidades brasileiras que, a exemplo de milhares em todo o mundo, se comprometem a apagar as luzes são: Apodi (RN), Arraial do Cabo (RJ), Barueri (SP), Baturité (CE), Bragança (PA), Caçador (SC), Canoas (RS), Divinolândia (SP), Jumirim (SP), Martinópolis (SP), Osasco (SP), Pedreiras (MA), Pindamonhangaba (SP), Poços de Caldas (MG), Ribeirão Pires (SP), Rio das Ostras (RJ), Tarumã (SP), Timóteo (MG), Tucunduva (RS) e Viana (ES). O estado com maior número de participantes, até o momento, é São Paulo, com oito prefeituras.

A edição 2011 da Hora do Planeta vai reunir milhares de pessoas em torno de ícones importantes das cidades, que ficarão às escuras. É que, além do ato simbólico pela conservação do planeta, muitas prefeituras vão promover atos públicos e shows com artistas.

Este ano, a Hora do Planeta no Brasil conta com a parceria da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), representando 400 municípios. "É preciso aproveitar o poder de engajamento das prefeituras e dos prefeitos para mobilizar a população", afirmou João Coser, prefeito de Vitória (ES) e presidente da FNP.

Representantes de prefeituras podem aderir oficialmente o município enviando e-mail para: cidades@wwf.org.br.

Cadastre-se no hotsite Hora do Planeta 2011: www.horadoplaneta.org.br

Mundo

No mundo, é cada vez maior também o movimento de adesão à causa ambiental. Já são 3.733 cidades, em 130 países, sendo 25 megacidades, entre as quais, Délhi, Mumbai, Buenos Aires, Moscou, Teerã, Istambul, Londres e Rio de Janeiro. Os sete continentes e todos os países que compõem o G-20 também estão representados.

A cidade de Sydney, Austrália, firmou um compromisso duradouro com o meio ambiente enquanto se prepara para desligar as luzes nesta sua quinta celebração da Hora do Planeta. "Passados cinco anos, nós precisamos ir além da Hora em si. Em Sydney, estamos implantando planos de longo prazo, construindo ciclovias em todas as partes da cidade, instalando lâmpadas LED nos parques e na iluminação das ruas e desenvolvendo uma usina tri-geradora projetada para produzir energia de baixo carbono", disse o prefeito Clover Moore.

Na China, a cidade de Shenyang, capital da província de Liaoning, se comprometeu com o plantio de mais de 38 mil hectares de florestas este ano, para combater o processo de desertificação, e assim, indo além da sua participação na Hora do Planeta. Chengdu, capital da província de Sichuan, promete colocar 60 mil bicicletas de aluguel à disposição do público a preço baixo e estabelecer mil pontos de aluguel na cidade para incentivar o transporte ecológico e reduzir as emissões de carbono.

"Frequentemente, são os governos das cidades que saem na liderança rumo à sustentabilidade," disse Andy Ridley, co-fundador e diretor-executivo do movimento Hora do Planeta. "Nos últimos quatro anos, as cidades têm sido as forças motoras da Hora do Planeta e é muito inspirador para nós vermos as cidades aproveitando a Hora do Planeta, não somente para celebrar a Hora, mas também para lançar iniciativas ambientais mais duradoras - indo além da Hora", afirmou.

Na Colômbia, a cidade de Medellin trabalha rumo a "um futuro mais verde". "Por isto que nós aderimos à Hora do Planeta," disse María Patricia Tobón Hincapié, Secretária do Meio Ambiente de Medellin. "Juntamos nossa voz às vozes das outras cidades para simbolizar nosso comprometimento com a proteção de nosso planeta - um comprometimento que se estende muito além dos 60 minutos."

"Estamos mostrando que é possível mudar as atitudes das pessoas. Nos últimos três anos, plantamos 337 mil árvores em Medellin e criamos parques nas áreas de cabeceiras de rios e riachos. Ao mesmo tempo, recuperamos 300 mil metros quadrados de espaço público e protegemos os recursos hídricos da nossa cidade."

Na Suécia, 30 cidades participaram numa competição nacional chamada 'Hora do Planeta Desafia as Cidades' (em inglês, Earth Hour City Challenge) - uma chamada para ver qual cidade apresentaria o plano mais holístico, inspirado e crível para alcançar zero emissão de carbono dentro de poucas décadas. Um painel internacional de especialistas julgou os planos submetidos e esta semana o Rei da Suécia vai premiar a cidade ganhadora, Malmö, que passará a ser 'A Capital Hora da Planeta 2011'.

Nas Filipinas, onde mais de mil cidades participaram na Hora do Planeta 2010, a Liga de Prefeituras das Filipinas, que congrega 1.512 municípios membros, vai participar na Hora do Planeta 2011 e está estimulando todas as organizações governamentais locais a mostrar seu apoio. A Liga das Cidades das Filipinas, que congrega 122 cidades membros, também vai participar.



Sobre o WWF-Brasil

O WWF-Brasil é uma organização não-governamental brasileira dedicada à conservação da natureza com os objetivos de harmonizar a atividade humana com a conservação da biodiversidade e promover o uso racional dos recursos naturais em benefício dos cidadãos de hoje e das futuras gerações. O WWF-Brasil, criado em 1996 e sediado em Brasília, desenvolve projetos em todo o país e integra a Rede WWF, a maior rede independente de conservação da natureza, com atuação em mais de 100 países e o apoio de cerca de 5 milhões de pessoas, incluindo associados e voluntários.

Sobre a Hora do Planeta

A Hora do Planeta, conhecida globalmente como Earth Hour, é uma iniciativa global da Rede WWF sobre mudanças climáticas. No sábado, dia 26 de março de 2011, às 20h30, pessoas, empresas, comunidades e governo são convidados a apagar suas luzes pelo período de uma hora para mostrar seu apoio ao combate ao aquecimento global. Na primeira edição, realizada em 2007 na Austrália, 2 milhões de pessoas desligaram as luzes. Em 2008, mais de 50 milhões de pessoas de todas as partes do mundo aderiram à ação. Em 2009, quando o WWF-Brasil realizou pela primeira vez a Hora do Planeta no Brasil, quase 1 bilhão de pessoas em todo o mundo apagaram as luzes. Em 2010, o movimento atingiu 4.200 cidades em 125 países.

Segue endereço das fotos do Acre na Hora do Planeta 2010.


EARTH HOUR 2010


Leia mais em: WWF-Brasil


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários aqui postados, são de responsabilidade dos seus autores.