Photobucket

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Campanhas de desarmamento são apresentadas em Seminário Internacional

(Reprodução)












Segurança Pública

Fonte: Ministério da Justiça


Cerca de 16 milhões de armas de fogo estão em circulação hoje no Brasil. Deste total, 90% estão nas mãos da sociedade, o que faz do país a nação mais armada, em termos proporcionais, do mundo. As armas de fogo, ao invés de garantirem segurança, trazem medo e violência. 80% dos crimes cometidos com elas dizem respeito a conflitos pessoais como briga de vizinhos e no trânsito, motivação passional, etc.

Os dados foram revelados no seminário internacional sobre desarmamento, em Brasília. O principal assunto do encontro é a promoção de uma cultura de paz no país, por meio do desarmamento da população e do controle de armas. No evento, países que promoveram campanhas de desarmamento que tiveram sucesso, além do Brasil – Argentina, Colômbia, Moçambique, Angola contaram as suas experiências.

O Secretário Nacional de Segurança Pública do MJ, Ricardo Balestreri, lembrou que o porte de armas entre a população dá uma falsa sensação de segurança. “Pelo contrário, a arma pode ser roubada pelos bandidos e utilizada pelos criminosos. Além de estar presente em uma série de tragédias domésticas, ela ameaça o cidadão comum”, afirmou.

Segundo Balestreri, a redução do número de homicídios observada nos últimos anos no país - 11% desde 2003 - está diretamente ligada à realização das campanhas de desarmamento. Em 2004, 2005 e no ano passado, cerca de 500 mil armas foram entregues ao governo.

“É preciso repensar a sociedade brasileira, encontrar outros canais para resolvermos nossos problemas que não sejam o da violência. Políticas de policiamento comunitário e ações preventivas estão entre as saídas”, defendeu Balestreri.

A visão é a mesma do presidente da Viva Comunidade, Rodrigo Rangel, organização que reúne uma série de entidades governamentais com trabalhos reconhecidos internacionalmente no combate à violência. “Temos que promover a conscientização das pessoas, nos unir. O controle de armas deve ser permanente, feito pelo Estado”, completou.

Dia do Desarmamento

O controle permanente do Estado foi anunciado há duas semanas em Brasília, quando o Ministério da Justiça tornou permanente a campanha do desarmamento. Nos próximos dias, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve assinar decreto tornando o primeiro sábado do mês de julho o “Dia do Desarmamento”.

Será uma data para marcar a entrega de armas por parte da população, que poderá ser feita a qualquer data em cada região do país. Os postos de entrega são unidades da Polícia Federal, delegacias de polícia, igrejas e lojas de maçonaria.

Leia mais em: Portal do Ministério da Justiça


0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários aqui postados, são de responsabilidade dos seus autores.