Photobucket

sábado, 13 de março de 2010

Campanha pretende aumentar número de leitores

(Acao Criar Leitores - Divulgação)











Às vésperas do dia do vendedor de livros, Sistema de Ensino de Língua Portuguesa fez ação de estímulo à leitura em Ribeirão Preto e Franca


Fonte: Verbo - Comunicação Empresarial

Há algumas décadas, uma antiga profissão tinha um certo requinte de intelectualidade: o vendedor de livros. Função sempre ocupada por homens, trajados de terno e gravata, a profissão que ficou conhecida em romances e telenovelas, perdeu espaço para grandes livrarias, feiras a céu aberto e para o cenário de compras online. Hoje, o livro é um dos produtos mais vendidos no ranking de vendas online e também foi um dos primeiros itens a serem comercializados via web. O próximo dia 14 de março é uma data destinada a profissionais que comercializam os livros. Dia também da Poesia. Para marcar as duas datas, o Criar-Sistema de Ensino de Língua Portuguesa, instalado em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, promoveu uma campanha para incentivar o gosto pela leitura : Criar Leitores. A ação aconteceu durante todo dia 12 de março, em Ribeirão Preto e Franca.

A campanha pretendeu surpreender o público ribeirãopretano e francano, com uma distribuição de livros. Títulos de vários estilos e autores foram deixados de forma inusitada em locais públicos da cidade. As obras traziam uma mensagem carimbada em suas primeiras páginas, convidando a pessoa que o encontrou a ser um leitor. “A ideia é que o livro encontrado circule sem dono e estimule outros leitores”, explica o mantenedor do Criar, Luiz Claudio Jubilato, professor de língua portuguesa e redação.
Segundo a gerente de marketing do Criar, Daniela Lui, os pontos de distribuição da campanha foram escolhidos, conforme o fluxo de pessoas, como aeroportos, rodoviárias e shoppings centers. “Outro ponto que consideramos foi o fator surpresa. Nossa intenção foi fazer com que os participantes fossem abordados em outros tipos de ambientes, como numa padaria, num café”, completa.

Segundo Jubilato, a campanha que segue pelas ruas das duas cidades, visa trazer de volta o gosto de folhear uma página e de saborear histórias. “Apesar de toda evolução de e-books, acessos rápidos à internet com obras inteiras publicadas, nada é comparável à leitura do velho e bom livro. Queremos despertar essa sensação nas pessoas”, comenta.

O diretor e professor de teatro, Magno Bucci, surpreendido pela ação em uma das padarias visitadas aprovou a ideia da campanha. Ele levou para ler um exemplar da obra “Morte e Vida Severina”, de João Cabral de Melo Neto. O livro o fez lembrar de sua trajetória profissional. “Minha história com o teatro começou com Morte e Vida Severina. Depois que assisti à peça, decidi a fazer o curso de teatro na PUC”, comenta.

Como funciona o projeto

Os livros foram deixados em locais públicos no dia 12, em Ribeirão Preto. Já em Franca a ação aconteceu na sexta e prossegue no sábado. Quem pegar o material será convidado a ler a obra e depois colocá-la em outro lugar público da cidade para que outra pessoa leia. Não há prazo para devolução, a campanha apenas pede para que o leitor cuide do livro, sem amassá-lo, rasgá-lo ou escrever nele, e claro, para que o devolva após leitura completa da obra. Entre as obras estão clássicos da literatura e livros de poesia.

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários aqui postados, são de responsabilidade dos seus autores.